twitter dedetização  
 
dedetizadora
ibaraki
dedetização
desratização
descupinização
desentupimento
pragas urbanas
contato
   
  Barata
 

Curiosidades

As baratas vão dominar o mundo?

As baratas são animais extremamente resistentes. Um indivíduo adulto pode viver até 1 mês sem alimento, 2 semanas sem água e pode ficar 40 minutos submerso; a casca dura de quitina pode suportar várias chineladas; patas perdidas podem ser regeneradas após alguns dias. Além disso, características anatômicas, ou seja, o formato achatado do corpo, possibilitam deslocamento por fendas de 1,6 mm e proteção em vãos muito pequenos.

Existe a discussão sobre o possível domínio do mundo pelas baratas após uma guerra nuclear. É claro que isso é uma lenda, mas, como todas as outras, tem uma base na verdade. De fato, as baratas, em especial suas ootecas, se mostram com uma resistência acima da média para a radioatividade e altas temperaturas. Além disso, elas poderiam se esconder facilmente em casos de desastres globais, garantindo sua sobrevivência, e também podem produzir um grande número de descendentes, cerca de 100 mil por casal.

As baratas são irmãs dos cupins?

Estudos têm mostrado grandes similaridades entre as baratas e os cupins, sendo estes últimos algumas vezes considerados como “baratas sociais”. Além de corpos e fisiologia parecidos, ambos os grupos apresentam simbiose com protozoários para digestão de madeira, ou seja, eles possuem esses microorganismos no intestino para produção da enzima celulase. Características moleculares (de DNA e RNA) também apontam grau de parentesco.

Baratas podem viver sem cabeça?

Diferente dos mamíferos, os principais órgãos vitais dos insetos e, é claro, das baratas, não estão na cabeça: os corações estão ao longo de um vaso dorsal no tórax e abdome, o sistema nervoso é formado por gânglios espalhados pelo corpo, o ar para a respiração entra por meio de espiráculos laterais no abdome. Tudo isso, somado à baixa pressão interna que evita grandes perdas de hemolinfa (o “sangue” dos insetos), permite que as baratas vivam até um mês sem cabeça, morrendo de fome após esse período. Vale usar essas informações também para explicar o que é aquela melequinha branca que sai das baratas esmagadas: principalmente gordura, que envolve as víceras.

Qual é a maior barata do mundo?

A maior barata do mundo foi encontrada em uma caverna de Bornéu, no sudeste asiático, medindo 10 cm. Apesar de ser uma barata muito bonita, com coloração azul-metálica, foi inicialmente chamada de “barata monstro” pelos pesquisadores. Porém, a maior barata do mundo já conhecida já não existe mais. Ela somente foi vista em um fóssil encontrado em Ohio, Estados Unidos, e tem o tamanho de um rato. Já as menores baratas do mundo têm de 2 a 4 mm e, por serem tão pequenas, vivem em ninhos de formigas.

Algumas baratas d’água possuem mais de 10cm de comprimento, no entanto, apesar do nome, elas não são baratas, mas hemípteros, como os barbeiros. Quer dizer, elas são grandes percevejos aquáticos.

Por que as baratas morrem de pernas pra cima?

Não existem estudos científicos que justifiquem esse fato, mas há duas explicações aceitáveis. A primeira, do entomologista José Henrique Guimarães, da Universidade de São Paulo, diz que as baratas morrem de barriga para cima porque geralmente os insetos andam em paredes e superfícies verticais, e quando sentem os efeitos do veneno, caem dessas superfícies. Dessa forma, é bem provável que a barata caia de costas. Nessa visão, se borrifarmos veneno em uma barata andando no chão, ela morrerá na posição normal, com as asas para cima. A segunda explicação, do departamento técnico da fabricante de inseticidas Reckitt Benckiser, diz que os insetos viram de barriga para cima para poderem respirar melhor e se recuperar da ação do veneno.

Por que o barato Fliti não morre com os inseticidas?

 
 

O barato Fliti, das tirinhas de Níquel Náusea, é uma barata viciada em inseticidas. Ele é um exagero de um fato real e importante para o controle dessas pragas urbanas: a resistência a inseticidas. O uso constante destes produtos químicos seleciona indivíduos resistentes a estas substâncias, que geram jovens igualmente resistentes. Com o passar do tempo, gerações cada vez mais resistentes vão surgindo, tornando o uso da substância ineficaz.

Quem são as baratas-voadoras?

Baratas são animais que preferem andar e grande parte de seus vôos são associados a períodos reprodutivos. Ao longo da evolução, elas desenvolveram pernas musculosas e adaptadas para uma locomoção rápida, provavelmente para evitar o contato com predadores (já que uma barata voando é extremamente visível). Algumas, inclusive, perderam suas asas e são chamadas ápteras (sem asas). Para demonstrar como a locomoção terrestre desses insetos é eficiente, há a comparação que garante uma corrida de 320 km/h para uma barata do tamanho de um ser humano!

Infelizmente para a maioria das pessoas, a barata mais abundante nas cidades paulistas, a Periplaneta americana, é uma das com maior propensão a voar, por isso também chamada “barata-voadora”. Mesmo assim, os vôos se restringem a períodos reprodutivos e aos momentos de desespero, como naquela hora que você foi espantá-la com a vassoura.