twitter dedetização  
 
dedetizadora
ibaraki
dedetização
desratização
descupinização
desentupimento
pragas urbanas
contato
   
  Traça
 

Traças dos Livros – Ordem Thysanura

As traças dos livros, também chamadas de traças prateadas, pertencem à Ordem Thysanura. Esta ordem é considerada uma das ordens mais primitivas entre os insetos, pois está no grupo dos Apterygota, ou seja, insetos que não possuem asas.

Hoje em dia ainda existem poucos estudos sobre a biodiversidade deste grupo de insetos. As espécies mais comuns encontradas no Brasil são Lepisma saccharina, Acrotelsa collaris e Ctenolepisma ciliata.

Os tisanuros são insetos que se alimentam de substâncias ricas em proteínas, açúcar ou amido. São muito comuns em residências, onde podem causar alguns estragos pelo ataque aos papéis que contenham cola, como papel de parede, livros encadernados, entre outros. Dificilmente as traças dos livros atacam roupas de lã e outros produtos que sejam de origem animal.

Seu jeitão lembra um peixinho prateado, daí a origem de seu nome popular em inglês: "silverfish". As espécies geralmente encontradas nas residências têm essa coloração cinza prateada devido às suas escamas.

 
 

Seu tamanho varia de 0,85 a 1,3 cm, mas isso depende da espécie e do estágio de desenvolvimento em que ela se encontra.

As traças dos livros têm o corpo alongado. Apresentam em sua extremidade abdominal um par de cercos e o filamento mediano bastante compridos. Foram estas estruturas que ajudaram a dar nome a esta Ordem de insetos: thysanus vem do grego e quer dizer franja e oura, também do grego, significa cauda.

Na cabeça encontra-se o aparelho mastigador, no qual temos mandíbulas que se articulam com a cápsula cefálica em dois pontos. Em função deste fato os tisanuros pertencem ao grupo Dicondylia, como a quase totalidade dos animais da Classe Insecta. A única ordem de insetos que pertence ao grupo Monocondylia (um único ponto de articulação entre a mandíbula e a cápsula cefálica) é um parente muito próximo das tisanuros, os Archeognatha.

 
 
Em relação ao desenvolvimento, as traças jovens são muito parecidas com as adultas, a não ser por serem menores e não estarem sexualmente maduras. Por esta razão dizemos que elas apresentam ametabolia. Isto quer dizer que elas se desenvolvem diretamente, sem sofrer metamorfose. Em outras palavras, a forma que apresentam quando nascem se mantêm praticamente a mesma durante o seu desenvolvimento até a fase adulta, na qual há a formação completa do aparelho genital. Então, resumindo, o ciclo de vida de uma traça dos livros é assim: do ovo sai uma forma jovem que sofre muda várias vezes, até atingir a fase adulta. A cada muda o indivíduos cresce em tamanho.
 
 

Após sair do ovo, a traça passa por várias mudas, durante cerca de 3 meses até atingir o estágio adulto.O tempo de desenvolvimento pode variar, mas, em nossas condições climáticas, é de aproximadamente um ano. Sua longevidade chega a 8 anos !!!!

Um detalhe curioso neste grupo é a reprodução. O macho libera no solo uma espermatóforo (uma espécie de cápsula que contém os esperma) e a fêmea a pega e introduz em sua abertura genital.

As traças apresentam hábitos noturnos, mesmo em lugares desabitados: são ativas à noite e se escondem durante o dia, evitando contato direto com a luz. Assim, quando você acender a luz de algum aposento na sua casa, pode ser que veja alguma traça correndo para se esconder em frestas ou atrás de móveis e quadros...

De fato, algumas espécies vivem nas habitações humanas. Porém, você também pode encontrar espécies de traças em cavernas, no meio de detritos, embaixo de pedras e folhas, e até em formigueiros e cupinzeiros! Em geral, elas vivem em locais bastante úmidos, embora existam também espécies que preferem locais mais secos.

Os principais predadores das traças são as aranhas, besouros carabídeos e miriápodes. Estes fazem o controle biológico das traças em ambiente natural.
As traças dos livros podem causar grandes estragos a livros e papéis. Elas são as pragas mais comuns presentes nas bibliotecas e, quando encontradas, é necessário realizar um controle periódico. A alimentação das traças resulta em áreas irregulares no papel, que exibem “manchas finas” características.